Metalúrgicas e Metalúrgicos da CNM/CUT participam de intercâmbio Brasil- Alemanha




Na Alemanha, o grupo de 35 companheiras e companheiros, juntamente com os 65  trabalhadores alemães, que participam do intercâmbio financiado pela Fundação Hans Böcker, em parceria com a Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT e Instituto Integrar, terá uma agenda cheia.
O grupo de trabalhadoras e trabalhadores começa nesta segunda-feira, 25, as visitas às fábricas ThyssenKrupp , Mannesmann, Daimler (Mercedes- Benz) e Mahle, na Alemanha e também participam de conferência sobre globalização
Esse intercâmbio é uma continuidade do que já aconteceu em 2009, quando a Fundação Hans Böckler (Alemanha) financiou a vinda dos alemães para o Brasil, onde participaram da I Conferência Expressões da Globalização: Impactos sobre os trabalhadores, análise comparativa Brasil- Alemanha, que aconteceu em SP.
“Naquela época era o Brasil que atravessava um momento de crise”, explicou Valter Sanches, então secretário de relações Internacionais da CNM/CUT, em reunião preparatória realizada dia 5 de junho, na sede da CNM/CUT, com parte do grupo que participa do intercâmbio, o restante esteve presente por teleconferência.
Sanches esclareceu os objetivos e os critérios de escolha dos companheiros para essa viagem de 25 a 29 de junho para a Alemanha. O grupo é composto por 100 dirigentes sindicais, sendo 35 brasileiros e 65 alemães.  A prioridade adotada foi para os dirigentes de empresas alemãs que operem no Brasil, com destaque para gênero e juventude, e aos que nunca tenham participado de intercâmbio na Alemanha.
“Esta é uma oportunidade que os metalúrgicos e as metalúrgicas da CNM/CUT têm para ampliar conhecimento sobre a OLT – Organização no Local de Trabalho e melhorar a qualificação em termos de formação. Agora podemos evoluir nos debates sobre a análise comparativa do modelo de desenvolvimento entre Brasil  e Alemanha, principalmente nesse momento em que a situação se inverteu. Agora é a Europa que está em crise econômica”, disse Sanches.
Valter Sanches é membro do Conselho de Administração, com representação paritária dos trabalhadores e dirigentes da Daimler (Mercedes-Benz). Por essa participação os representantes recebem um bônus, que é doado à Fundação Hans Böckler. E por acordo entre Sanches e o IF Metal, essa doação  deve ser revertida em intercâmbio de formação para os dirigentes da CNM/CUT.
O secretário-Geral  e secretário de Relações Internacionais da CNM/CUT, João Cayres  destacou a importância da participação dos metalúrgicos nesse processo de aprendizagem. “ Vamos ter contato direto com as comissões de fábrica e conhecer na prática como são dadas as negociações, como são as relações de trabalho no chão das fábricas alemãs. Vamos levar nossas experiências do movimento sindical e estabelecer trocas de conteúdo e informações,” disse o dirigente.

Por: Daiane Cerezer (CUT-RS), do Rio de Janeiro

Comentários