Brasil teve 964 greves entre 2009 e 2010



De acordo com um levantamento feito pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), no período de 2009 e 2010 foram registradas 964 greves no país. Em 2009 foram 518 e, em 2010, 446. Esses foram os maiores número para os últimos 10 anos. A quantidade superou 2008, que obteve registros de 411 paralisações. Esses dados foram divulgados na segunda-feira pelo Dieese. Para fazer este levantamento, o Dieese utilizou informações que são coletadas pelo Sistema de Acompanhamento de Greves. Ele é mantido pelo departamento e reúne informações desde 1978. As informações são retiradas de notícias em periódicos e também da própria imprensa sindical.
Outro dado oferecido pela pesquisa é que o número de greve em 2009 para o setor trabalhador ocorreu em maior quantidade na esfera privada do que na esfera pública. Foram 266 para o primeiro caso e 251 para o segundo. Em 2010 houve uma inversão e quem produziu mais greves foi o setor público com 269 paralisações frente a 176 do setor privado. Há dados de uma greve que envolveu tanto o segmento público quanto privado.

Em 2009, os trabalhadores pararam 34.730, sendo que a maior parte ocorreu na esfera pública, que sozinha somou 25.316 horas. No ano de 2010 foram 44.910 horas no total, sendo que o setor público é responsável por 38.085 delas. Essas diferenças se devem principalmente a dificuldade de negociação na esfera pública em função da maior complexidade, por envolver diversos órgãos, e também pela ausência de regulamentação da negociação de tipo coletivo.
Busca por melhores salários é o principal motivo das greves
Sobre as motivações das greves, a pesquisa mostrou que a sua maioria foi em busca de melhores salários. Por esse motivo foram 266 greves em 2009 e 214 em 2010. Em seguida estão as reivindicações por planos de cargos e salários e suporte de auxílio-alimentação.
Por : Notíciasbr

Comentários