'Racha' termina com 6 jovens mortos em Mogi das Cruzes

'Racha' termina com 6 jovens mortos em Mogi das Cruzes

Um dos motoristas envolvidos havia ingerido duas garrafas de cerveja; vítimas tinham entre 13 e 22 anos
'Racha' termina com 6 jovens mortos em Mogi das Cruzes (© Estadão Conteúdo)
Seis jovens morreram e três ficaram feridos após dois carros que disputavam racha perderem o controle e atingirem o grupo no início da madrugada de ontem na Avenida Japão, na periferia de Mogi das Cruzes, na Grande São Paulo. As vítimas fatais tinham entre 13 e 22 anos. Um dos motoristas envolvido no racha, Reginaldo Ferreira da Silva, de 41 anos, prestou depoimento à polícia e foi preso em flagrante por homicídio doloso e embriaguez ao volante.
Silva admitiu, em depoimento ontem à tarde à Polícia Civil, que dirigia após ter ingerido "duas garrafas de cerveja". Ele também não tem habilitação. Um segundo motorista envolvido no acidente segue foragido.
O motorista preso e outras quatro pessoas que estavam com ele voltavam de uma festa para ir em outra. No depoimento prestado no 2 Distrito Policial de Mogi das Cruzes, Silva disse ter sido ultrapassado por outro veículo que fez sinal para uma disputa de racha, com as duas setas ligadas. Na disputa ele perdeu o controle do veículo, capotou e atingiu o grupo de jovens.
A policia informou que Silva fugiu do local do acidente sem prestar socorro, por volta da 1h, e só foi localizado durante diligência ontem por volta das 10 horas. Segundo o tenente da PM Kaio de Siqueira Domingues, responsável por fazer o atendimento da ocorrência, dois carros disputavam racha na Avenida Japão, sentido bairro.
"Os carros se tocaram e um deles derrapou atingindo o grupo de dez jovens que estavam reunidos", disse. Seis dos jovens morreram no local. Um ferido de 15 anos seguia internado em estado grave na tarde de ontem. A polícia ainda procura o outro motorista envolvido no acidente que fugiu. Segundo o delegado Daniel Miragaia, que registrou o caso, assim que for identificado ele será preso sem possibilidade de fiança.
A velocidade máxima permitida na Avenida Japão é de 50 km/h. A polícia, porém, diz que o velocímetro do carro de Silva travou em 120 km/h no momento da tragédia. Em 15 dias deve sair  laudo da perícia que apontará a real velocidade dos dois veículos.

Comentários